Salário Mínimo no Japão

Muitas pessoas sonham em ir trabalhar no Japão, um país conhecido pela indústria de eletrônicos e pelas grandes empresas do setor automobilístico. Antes de tudo, é muito importante conhecer o mercado de trabalho japonês e o custo de vida no país. Além disso, entender como funciona o salário mínimo no Japão é essencial para evitar surpresas desagradáveis.

Salário mínimo

11944294-vielen-japanischen-yen-die-geldscheine-japan-geld-lizenzfreie-bilder

O salário mínimo no Japão não possui um preço fixo nacional, variando de acordo com a região do país. Como o Japão é dividido em províncias, cada província possui um salário mínimo diferente. É importante saber que esse valor é estabelecido pela legislação de cada província. Assim, mesmo que uma pessoa more em uma província e trabalhe em outra, ela receberá o salário conforme a lei da província da empresa em que ela trabalha.

De forma geral, a média do salário mínimo nacional japonês é de 780 ienes por hora. Diferentemente do que ocorre no Brasil, no Japão o salário mínimo é calculado por hora e não mensalmente. Esse valor, além de variar de acordo com a região, também pode variar de acordo com o setor do mercado de trabalho. Setores mais desenvolvidos e produtivos podem pagar mais aos trabalhadores do que outros menos dinâmicos.

Outro fator que influencia o valor do salário mínimo no Japão é o custo de vida da região. Cada província estabelece um valor com base no custo de vida médio das pessoas. Regiões com um custo de vida mais elevado, terão salários mínimos maiores que províncias com custo de vida menor.

Como trabalhar no Japão

Para trabalhar no Japão, é necessário conseguir um visto de trabalho. Sem ele, não será possível viajar para o país sem um emprego em vista. Além do visto temporário e do visto estudantil, existe o visto de trabalho, que permite que estrangeiros trabalhem no Japão de 1 a 3 anos, podendo renovar esse prazo.

Para conseguir esse visto, é necessário, primeiramente, conseguir uma vaga de emprego em uma empresa japonesa. Apenas com a vaga garantida será possível solicitar o visto. Com a vaga garantida, a empresa emitirá um certificado comunicando que a vaga é do estrangeiro e que ele pode imigrar para o Japão.

Com o visto temporário, também conhecido como visto de curta duração, é possível viajar para o Japão e, após conseguir uma vaga de emprego, solicitar o visto de trabalho. Mas é preciso estar atento, pois o visto de curta duração tem durabilidade de apenas 90 dias e toda documentação para a vaga de emprego deve estar pronta até o fim desse prazo.

Desvantagens

Embora o mercado de trabalha japonês seja bastante atrativo para os estrangeiros, algumas características podem desestimular quem espera ganhar dinheiro fácil e rápido. No Japão, é permitido que os empregados trabalhem até 12h por dia, além das horas extras solicitadas pelo empregador. Além disso, é muito comum que empresas trabalhem de segunda a sábado, parando apenas aos domingos.

Somado a isso, é preciso considerar que em muitas regiões do país o custo de vida é alto e o salário mínimo no Japão pode não ser suficiente para suprir todas as despesas necessárias.

Vantagens

Apesar das desvantagens, o mercado de trabalho no Japão também oferece diversas oportunidades e pode trazer muitos benefícios para alguns trabalhadores. Os setores mais atrativos e com melhores salários são os que envolvem tecnologia de ponta, como o setor de eletrônico e automobilístico, formando grandes parques industriais.

Outra vantagem está relacionada aos descendentes de japoneses, que possuem preferência entre os estrangeiros para ir morar no país. Para isso, é apenas necessário ter um passaporte e solicitar uma carta de garantia para um parente no Japão. Após, basta retirar o visto na embaixada japonesa.

Veja também:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *