Salário Mínimo na Itália

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o salário mínimo na Itália não é definido por nenhum tipo de lei específica. Na verdade, os valores pagos aos trabalhadores, no país, são definidos essencialmente pelo mercado e pelo contrato estabelecido entre empregado e empregador.

O mercado de trabalho italiano passou, há alguns anos, por um processo de desregulamentação. Foi uma iniciativa que tentou manter as taxas de empregos e novos empregos. Antes disso, o país era conhecido pelo custo de demissão do trabalhador.

Atualmente, o mercado italiano já é bastante dinâmico, mas uma de suas características é a falta de um salário mínimo oficial. Isso não quer dizer, no entanto, que este salário seja necessariamente baixo.

Pelo contrário: a média é razoavelmente generosa, em comparação aos valores comumente praticados no território europeu.

Salário mínimo

Embora não haja um salário mínimo na Itália, há valores mais comumente praticados pelos mercado em cada tipo de emprego. Alguns anos atrás, as empresas italianas ofereciam um contrato de trabalho com tempo indeterminado – este modelo gerava um custo muito grande para as empresas, quando demitiam seus empregados.

Com as crises econômicos ocorridas no país, foi desenvolvido o “Contratto a Progetto”, onde a empresa e o empregador combinam seus termos específicos: horas semanais, horários, salário e etc.

Os salários médios costumam variar de acordo com as regiões e o custo de vida de cada cidade italiana. Em geral, pode-se estabelecer os seguintes salários:

Para empregos que não exigem qualificação formal, o salário mínimo na Itália, estabelecido pela prática, gira em torno de mil euros mensais. Para qualificação média, geralmente trata-se de um salário em torno de 1.200 euros. Para empregos com qualificação técnica exigida, o mínimo  gira em torno de 1.400 euros.

Para trabalhos que exijam formação superior, o salário salta para valores entre 1.500 euros e 5.000 euros. O engenheiros, advogados e médicos, por exemplo, estão entre os casos onde um salário de 5.000 euros mensais é razoavelmente comum.

Pagamentos

euro crisis concept. old italian lire (its no existing money) over euro currency banknotes

A recorrência do pagamento do salário mínimo na Itália também não é regulamentada por lei. Ele pode ser semanal, quinzenal ou mensal, de acordo com o contrato estabelecido entre  empregado e empregador.

É possível que o contrato define, também, os salários adicionais. A maioria dos empregos oferece o 13º salário para seus trabalhadores. Alguns deles, ainda, oferecem o 14º salário – mesmo que ele não seja obrigatório.

Vantagens e desvantagens

Além de geralmente apresentar bons valores, uma das grandes vantagens do salário mínimo na Itália é sua associação com o alto nível de benefícios sociais (não apenas relacionados ao trabalho).

Questões como a educação, a saúde e a segurança são razoavelmente bem estabelecidas na  Itália, além de gratuitas. Isso valoriza significativamente o salário recebido. Adicionalmente, as taxações de encargos não são tão altas quanto outros países europeus mais tradicionalmente conhecidos pelo oferecimento de alto nível de bem estar social.

Por outro lado, a situação econômica italiana é, há algum tempo, delicada. Seu custo de vida é alto, e a disponibilidade de empregos não é infinita. Se você pensa em buscar um salário mínimo na Itália, é importante calcular bem seus custos de vida recorrentes na cidade onde pretende morar.

Veja também:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *